“Retrato de uma Mulher”, de William Carlos Williams. Tradução de Bruno M. Silva

  As tuas coxas são macieiras
cujas flores tocam o céu.
Qual céu? O céu
onde Watteau pendurou o chinelo
de uma mulher. Os teus joelhos
são uma brisa do sul – ou
uma rajada de neve. Ah! que
tipo de homem era Fragonard?
- como se isso respondesse a
alguma coisa. Ah, sim – por baixo
dos joelhos, já que o tom
desce por aí, é
um desses dias brancos de verão,
a erva alta dos teus tornozelos
cintila sobre a costa –
Qual costa? –
a areia prende-se aos meus lábios –
Qual costa?
Ah, pétalas, talvez. Como
posso eu saber?
Qual costa? Qual costa?
Eu disse pétalas de uma macieira.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s