“Bem dentro de nós”, de Vasko Popa (1922 – 1991), trad. Bruno M. Silva

I

Erguemos as mãos
A rua sobe até ao céu
Baixamos os olhos
Os telhados pendem para o a terra

De cada dor
Que não mencionamos
Um castanheiro cresce
E misterioso permanece por trás de nós

De cada esperança
Que nutrimos
Uma estrela levanta-se
E move-se inatingível à nossa frente

Ouves o tiro
Que voa entre as nossas cabeças
Ouves o tiro
Que guarda o nosso beijo


(a partir da versão inglesa de Anne Pennington, Selected Poems, Penguin)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s