Três poemas de Saigyō (1118-1190) trad. Bruno M. Silva a partir da versão inglesa de Meredith Mckinney

Vazio como o céu
o meu coração
é névoa primaveril dissipando-se
desejoso
por deixar este mundo para trás

*

Como poderia eu atravessar a vida
sem saber aquilo que ela é - 
um caminho
que inesperadamente leva
à morte?

*

Efémeros
aqueles anos em que eu
pensava que viveria sempre
anos perdidos
num sonho passageiro


[in Gazing at the Moon, Buddhist Poems of Solitude]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s