“Acorda”, de Adam Zagajewski (1945-2021 trad. Bruno M. Silva

Acorda, alma.
Não sei onde estás,
onde te escondes,
mas acorda, por favor,
ainda estamos juntos,
o caminho ainda está à nossa frente,
uma tira luminosa de madrugada
será a nossa estrela.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s